English
Sifreca

Fertilizantes - Outubro/2014 - nº 02

Caracterização do Mercado de Fertilizantes

Produção

A produção de fertilizantes subiu 6,1% de agosto a setembro do ano vigente e ficou 4,5% acima da produção do mesmo mês do ano passado. Apesar da recuperação da produção acumulada de janeiro a setembro de 2014, a qual soma 6,5 milhões de toneladas de fertilizantes, está ainda foi 7,4% inferior ao mesmo período de 2013 (figura 1). O aumento da produção é pontual, não representa mudança na estrutura produtiva, e, não modifica a tendência de que o ano termine com produção significativamente inferior ao ano precedente.

 Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014). Figura 1 - Produção mensal de fertilizantes (em mil t).
Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014).
Figura 1 - Produção mensal de fertilizantes (em mil t).

A produção interna do insumo continua suprindo muito pouco da necessidade brasileira por fertilizantes. Enquanto a produção pode terminar o ano abaixo da produção e 2013, as entregas ao consumidor final, que representa o consumo de fertilizantes no país, cresce novamente em setembro e atinge 3,9 milhões de toneladas. O crescimento é de 8,5% em relação a agosto e também 8,5% em relação ao mesmo mês de 2013. As entregas ao consumidor acumuladas de janeiro a setembro somam 23,8 milhões de toneladas (figura 2). O ano de 2014 deve bater novo recorde no consumo de fertilizantes.

Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014). Figura 2 – Fertilizantes entregues ao consumidor final (em mil t).
Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014).
Figura 2 – Fertilizantes entregues ao consumidor final (em mil t).

A importação de fertilizantes caiu 14,5% em setembro em relação a agosto no ano vigente. A queda em relação a setembro de 2013 foi de 4,6%. Porém, esta queda na importação não se reflete na importação acumulada de 2014. Entre janeiro e setembro de 2014 a importação foi de 17,6 milhões de toneladas, 8,6% superior ao mesmo período do ano anterior (figura 3).

A desaceleração da importação no mês de setembro reflete o adiantamento das compras de fertilizantes ocorrida nos meses anteriores. Porém, se espera o término do ano com volume importado superior ao de 2013. Com o adiantamento das aquisições neste ano, os armazéns nas regiões portuárias estão perto de atingir a capacidade máxima de armazenagem. O escoamento do produto deve ocorrer em 2014 de forma mais homogênea do que o ano de 2013. A distribuição das entregas ao longo do ano diminui a concentração de demanda por transporte, e, portanto, auxilia na diminuição dos picos nos preços dos fretes.

Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014). Figura 3 – Evolução da importação mensal de fertilizantes (em mil t), de 2012 a 2014.
Fonte: Elaborado a partir de dados da ANDA (2014).
Figura 3 – Evolução da importação mensal de fertilizantes, em mil t (de 2012 a 2014).

A importação tem ocorrido principalmente a partir dos portos de Paranaguá, Santos e Rio Grande, com 37%, 15% e 14% respectivamente (figura 4). A mudança do mês de agosto para o mês de setembro é o retorno na importância de Santos. Esta alteração não afeta significativamente o escoamento do produto.

Fonte: Elaborado a partir de dados da SECEX (2014). Figura 4 – Participação dos portos na importação total de fertilizantes (%).
Fonte: Elaborado a partir de dados da SECEX (2014).
Figura 4 – Participação dos principais portos na importação total de fertilizantes (%).

Preços do fertilizante

Relativamente a cotação da moeda americana, o dólar, no mês de setembro e a expectativa para os próximos meses não apresentaram variações significativas, segundo o Boletim Focus (Banco Central do Brasil). O dólar é a principal variável que impacta o preço dos fertilizantes, pois, este acompanha as cotações internacionais, visto que mais do que 70% do consumo interno é suprido por importações. O preço do produto nos países de origem não sofreu alteração apreciável.

O adiantamento das compras em 2014 também tem impacto, pois, a necessidade de compras é baixa e o produtor agrícola pode escolher aguardar melhores condições para efetuar próximas compras.

 

Análise do Mercado de transporte

  Comportamento geral do Mercado de fretes de Fertilizantes

O comportamento do frete de fertilizante no mês de setembro foi bastante irregular. Em agosto esta irregularidade já estava presente, porém havia maior homogeneidade, uma vez que a maioria dos fretes do insumo haviam sofrido aumentos.

Em setembro parte dos preços do serviço de transporte de fertilizantes subiram e parte dos fretes caíram, em proporção semelhante (figura 5).Observou-se no período em análise que, os fretes de rotas em que havia a possibilidade de frete de retorno caíram em alguns locais, enquanto rotas em que não havia essa possibilidade optou-se por aguardar melhores preços para escoar a produção. Este adiamento causou baixa efetivação de fretes em locais com tendência de alta de preços devido à escassez de veículos.

Portanto, foram observados no mês uma maioria de fretes declinantes. Uma das razões do adiantamento está relacionado a distribuição do insumo ao longo do ano visando fugir da alta dos valores de frete que foi observada no mesmo período do ano anterior.

Comentários de agentes do mercado afirmam que a movimentação de fertilizantes em setembro foi bastante desacelerada em comparação com o ano de 2013. As razões para desaceleração foi o adiantamento das importações de fertilizantes, que se acumularam nos primeiros meses do ano, o período eleitoral que adia contratação de serviços e investimentos e os baixos preços de commodities exportáveis.

O indicador do preço do milho no mês de setembro foi cerca de 12,2% inferior em relação ao mesmo mês do ano anterior, a soja foi 14,3% e o trigo atingiu em setembro o menor preço dos últimos dois anos (Cepea-ESALQ). Com os preços de produtos exportáveis baixos em relação a expectativa, os produtores têm optado por reter o produto, aguardando melhores condições de venda. Ao adiar o escoamento destes produtos até os portos, há escassez de caminhões.

Para escoar fertilizantes com baixa disponibilidade de veículos é preciso subir substancialmente os preços dos fretes do insumo para atrair caminhões. Porém, estando o plantio em curso não há mais necessidade urgente de carregamento, sendo assim, empresas e transportadoras optam por aguardar preços menores dos fretes.

Fonte: ESALQ-LOG (2014). Figura 5 - Variação percentual do frete rodoviário de fertilizantes das rotas coletadas, (setembro em relação a agosto de 2014)
Fonte: ESALQ-LOG (2014).
Figura 5 - Variação percentual do frete rodoviário de fertilizantes das rotas coletadas, (setembro em relação a agosto de 2014).

Comportamento do Mercado de fretes nos corredores de transporte de fertilizantes  

Os corredores de transporte de fertilizantes com recuo nos preços dos fretes são aqueles responsáveis pela movimentação no mercado interno. Esta movimentação se concentra nas regiões Centro-Oeste e Sul, regiões produtoras de grãos e trigo.

Milho, soja e trigo são produtos cujos preços de mercado estão em declínio e cujo escoamento está sendo postergado. Porém, como a baixa dinâmica da movimentação de carga no mais está generalizadamente baixa, caminhoneiros aguardam nestas regiões até que o escoamento ocorra. O acúmulo de caminhoneiros e a falta de cargas culmina em preços dos fretes de fertilizante menores na movimentação interna.

Na região Sudeste e nas proximidades, assim como nas regiões portuárias, a disponibilidade de caminhões é baixa. Porém a disponibilidade apresenta nível suficiente para suprir a demanda por carregamentos, a qual também está baixa (figura 6).

Para o mês de outubro, espera-se ainda as movimentações de fertilizantes em alta, principalmente para as regiões que irão se preparar para o plantio de soja, que seguindo as tendências apresentadas pelo agronegócio brasileiro, indica grandes áreas a serem plantadas, sobretudo nos estados do Mato Grosso, Goiás e Paraná, regiões que devem ser os principais polos recebedores do insumo. Os fretes por sua vez, devem se manter mais estáveis, seguindo as tendências apresentadas ao longo do segundo semestre de 2013.

 Fonte: ESALQ-LOG (2014). Figura 5 – Evolução dos índices de fretes de fertilizantes dos portos e misturadoras com destino ao mercado interno
Fonte: ESALQ-LOG (2014)
Figura 5 - Evolução dos índices de fretes de fertilizantes dos portos e misturadoras com destino ao mercado interno.

Equipe Responsável

  • Amanda Cristina Gaban
  • Elisandra Cardoso
  • Lilian de pellegrini Elias
  • Luis Henrique Plens
  • Marina Granato
  • Ricardo de Campos Bull

 

Desenvolvimento Imagenet Tecnologia | 2018